Portugal: Sustentabilidade energética

Portugal: Sustentabilidade energética

Data da publicação: 13/08/2018

Empresa: PRIO Energy
Cidades de implementação: Castanheira do Ribatejo, Benavente, Rio Maior, Portela das Padeiras, Montijo, Fernão Ferro, Marco do Grilo, Trajouce, Famões, Arroja, Amora, Vila Chã, Santo André, Lagoa, Tavira, Maia Pedrouços, Fão, Viseu, Coimbra, Aguada
Total de habitantes da cidade: 326.585 habitantes
Área de atuação do projeto: Eficiência energética
Parceiros: Enforce
Montante investido: 266.000€

O projeto

Problema identificado: A PRIO tem como objetivo ser uma referência na área de sustentabilidade energética e reduzir o impacto negativo dos combustíveis fósseis através da promoção da utilização de energias renováveis e limpas na geração de energia.

Solução encontrada: A empresa apostou na produção de energia solar com a instalação de 20 UPAC (Unidades de Produção de Autoconsumo) em 20 localizações de norte a sul do país, à qual somam outros 18 postos equipados com energia solar fotovoltaica com minigeração em regime bonificado.

Resultados: Os resultados anuais são de 354 Mwh produzidos, equivalendo a 292 ton de CO2 não emitido.

Impactes positivos para:

A cidade: Redução do consumo de energia elétrica a nível municipal.

A região: Redução das emissões de CO2; redução da procura de energia elétrica à rede já que houve uma diminuição da carga em horário de maior consumo; redução do consumo de energia elétrica a nível regional.

Projetos futuros: Os resultados positivos do projeto servem de exemplo para alavancar outros projetos na área de sustentabilidade energética e reforçaram o compromisso da PRIO com a promoção da energia limpa. O objetivo futuro passará pela instalação de mais equipamentos de produção de energia a partir de fontes renováveis em mais postos da rede PRIO (fotovoltaico, eólico e outros).

Influência na transformação da cidade

A sustentabilidade energética contribui para a redução das emissões de CO2 e consequente promoção da qualidade do ar.

Poupanças geradas

Poupança financeira pela redução da fatura de eletricidade em 36% e pela introdução de energia na rede. No total, o projeto gerou poupanças energéticas na ordem das 206 toneladas de CO2 evitadas (desde novembro de 2016) e 255510 kWh produzidos durante o ano de 2017 para autoconsumo e introdução na rede.

Obstáculos encontrados e como foram ultrapassados

Os dois obstáculos mais impactantes foram a necessidade de adaptação das infraestruturas e o necessário investimento financeiro em equipamentos. A forma como foram superados baseou-se na capacitação da equipa de engenharia com conhecimentos necessários para a adaptação das infraestruturas e com investimento próprio.

Fatores de sucesso

Vontade interna de promover sustentabilidade e aproveitamento de recursos naturais de forma a reduzir custos de energia nas estações de serviços e a pegada ecológica da PRIO

Lições Aprendidas

É fundamental melhorar a análise do retorno de investimento apurando a poupança mensal em euros.

Indicadores de desempenho (KPI) definidos

– retorno de investimento;
– rácio de Performance;
– toneladas de CO2 evitado;
– kWh gerados;
– variação entre os kWh esperados e os kWh obtidos;
– produção horária;
– produção diária;
– produção mensal;
– produção anual;
– horário de pico de produção.

2018-08-13T13:17:22+00:00